Homens e mulheres jogam futebol pelo fim da violência contra a mulher


Homens e mulheres jogam futebol pelo fim da violência contra a mulher

Jogo misto no Dia do Laço Branco, que integra programação dos 16 Dias de Ativismo pelo fim da violência contra a mulher, reuniu autoridades, empresários, servidores públicos municipais e militares, trabalhadores da iniciativa privada em geral e representantes da imprensa. A programação realizada no Ginásio Poliesportivo, no final da tarde desta terça-feira,5,  foi uma iniciativa do Fórum Permanente da Mulher, em parceria com o Poder Executivo, por meio da Coordenadoria da Mulher e outros organismos integrantes da Rede Municipal de Proteção à Mulher.

De acordo com a titular da coordenadoria Municipal da Mulher, Noemi Huth, mais de 20 entidades estiveram representadas, em que pese ser um dia de semana e no final de expediente. “Ficamos muito felizes com a participação. A cada ano mais e mais pessoas se agregam esse movimento que tem o objetivo de chamar a atenção para um problema social sério que é a violência contra a mulher. Todos nós precisamos trabalhar com vistas à construção de uma nova cultura. Uma cultura de respeito às diferenças. Respeitar o nosso semelhante, independente do gênero e da cor, entre tantas outras diversidades, é o que se espera de uma sociedade mais humana”, reitera Noemi.

A programação dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher, iniciada em 20 de novembro, quando se comemora o Dia da Consciência Negra, encerra-se nesta sexta-feira, com a realização de mais uma atividade. Desta vez destinada a marcar o Dia da Declaração Universal dos Direitos Humanos, outra data significativa neste importante calendário de eventos, cujos objetivos são o propor uma reflexão sobre temas importantes parar melhorar as relações interpessoais, especialmente no que diz respeito, às diversidades.

Confira a programação:

08/12 – Sexta-feira - Atividade alusiva ao Dia da Declaração Universal dos Direitos Humanos

Atividade: Sessão Cinema – Filme: Meu nome é Jaque

Sinopse: A história de vida de Jaqueline Rocha Côrtes, uma mulher transexual brasileira, que vive com AIDS há mais de 20 anos. Militante pela causa, Jacque tem a vida marcada por lutas e conquistas, chegando a trabalhar como representante do governo brasileiro e na Organização das Nações Unidas. Atualmente, é casada e mãe de dois filhos, mora em uma pequena cidade e leva uma vida voltada para a maternidade, família e espiritualidade.

Local: Centro de Eventos da Unijuí – campus Ijuí

Horário: 14 horas

Público: Acadêmicos do Mestrado em Direitos Humanos – Rede de Proteção à Mulher, Conselho da Mulher e Fórum Permanente da Mulher. Representações pedagógicas de escolas públicas municipais e estaduais e público em geral.



Enviar por e-mail Imprimir

Veja nossos canais de contato

Fale conosco


  • Rua Benjamin Constant, 429 - Centro
  • (55) 3331-8200
  • Horário de atendimento:
Visualizar mapa