Educação

A cultura do ensino

Cerca de 5 mil alunos de vários locais do País, fazem de Ijuí uma cidade universitária. Além de que uma escola daqui teve os melhores resultados no Ideb, dentre os educandários das redes municipais do Estado. Esses e outros pontos tornam Ijuí, polo regional de educação.

São 24 escolas da rede municipal, 27 da rede estadual e outras quatro da rede privada. Além de uma universidade e pelo menos cinco campi de faculdades presenciais e a distância. Isso sem falar em escolas de educação infantil, ensino técnico profissionalizante, ensino supletivo e Educação de Jovens e Adultos. Somente na Universidade Regional do Noroeste do Estado, a Unijuí, cerca de 10 mil alunos cursam o ensino superior. Esses são alguns dos pontos que tornam Ijuí, polo regional em educação.

Inclusão é realidade

A rede municipal de ensino conta com 24 escolas, sendo 10 infantis. O Instituto Municipal de Ensino Assis Brasil (Imeab), além de ensino fundamental e médio, também conta com o tradicional curso técnico em Agropecuária. No total, são 6,4 mil alunos, conforme estatística de agosto de 2010.

Basicamente duas escolas da rede trabalham a questão da inclusão de alunos com deficiência. A Escola Municipal Soares de Barros está estruturada para receber estudantes surdos e o Imeab atende alunos cegos. No total, são aproximadamente 110 estudantes incluídos em regime regular de ensino, na rede municipal. Destes, mais de 50 são atendidos nas seis salas de recurso multifuncional, a partir de convênio com o Ministério da Educação. Além disso, o Imeab mantém uma sala de recursos, onde atende 28 pessoas, sendo que estas não são matriculadas na rede.

O Município de Ijuí, prima por uma educação de qualidade. Ao aderir ao Plano de Metas “Compromisso Todos pela Educação”, a rede assumiu o compromisso de melhorar os indicadores educacionais.

Universidade comunitária

Nos anos 50, a Ordem dos Frades Menores Franciscanos (Capuchinhos) e a comunidade de Ijuí e região iniciaram uma mobilização em prol da implantação do ensino superior. E foi em 1956 que surgiu a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ijuí, a Fafi. Pioneira na região, logo nos seus primeiros anos, uma reestruturação marcou a postura pedagógica da Faculdade, que de uma dimensão individual, passou a trabalhar uma dimensão marcada pela preocupação com o social, um espaço de realização coletiva e solidária.

Já a Fundação de Integração, Desenvolvimento e Educação do Noroeste do Estado (Fidene), foi fundada em 1969, com o propósito de encaminhar uma universidade regional, dando o suporte legal, patrimonial e econômico-financeiro ao desenvolvimento do ensino superior no noroeste do Estado.

Várias faculdades foram criadas na década de 70, tendo a Fidene como mantenedora.

Em substituição à essas Faculdades, em 1981 foram criados os Centros Integrados de Ensino Superior de Ijuí que, em 1985, através do reconhecimento da Universidade de Ijuí (Unijuí), consolidou a estrutura organizacional presente até hoje, com denominação renovada em 1994 para Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul.

Cultura por todo o canto

Peças teatrais, canto, música, dança, literatura, tradicionalismo. É com essa mistura de ingredientes que Ijuí busca democratizar a cultura entre a população. Além de valorizar os artistas regionais e locais, o município investe em outras atrações.

Um evento de sucesso, que já dura quase 18 anos, é a Feira do Livro de Ijuí, uma celebração da literatura promovida anualmente.

E após 20 anos, o carnaval de rua voltou a ser realizado em Ijuí. Reunindo cerca de três mil foliões e aproximadamente 20 blocos, em 2010 o evento foi um sucesso e agora faz parte do calendário oficial de eventos do município.

    Na cidade também há espaço para a cultura inclusiva. É o caso do Centro de Ensino e Arte Professor Pardal, que oferece a crianças e adolescentes oficinas de teatro, circo e música. A instituição atende estudantes em turno inverso ao da escola. São diversas oficinas as quais os alunos podem participar. O destaque são as aulas circenses, onde as crianças e jovens aprendem técnicas e truques, que resultam, anualmente, em uma apresentação artística.

A Fafi e os movimentos de base

A presença marcante da Fafi na região, aguçada pelo Movimento Comunitário de Base, influenciou nas discussões para a criação de uma entidade regional, que fosse aberta e descentralizada, a fim de conduzir e respaldar a expansão do ensino superior da região.