Semana do Meio Ambiente: os perigos das queimadas na área urbana


Semana do Meio Ambiente: os perigos das queimadas na área urbana

O Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado em 5 de junho, a principal data da ONU para promover conscientização ambiental. Tradicionalmente, o Município de Ijuí, por meio da Secretaria do Meio Ambiente (SMMA), todo ano realiza, em parceria com a sociedade ações para conscientização das questões que envolvem o tema.

Este ano, por conta da situação excepcional da pandemia da Covid-19 em curso, e respeitando os protocolos de distanciamento social a Secretaria Municipal de Meio Ambiente estará realizando algumas ações durante esta semana, principalmente informativas para o conhecimento da comunidade.

Reiteramos que, a SMMA continua trabalhando para o melhor atendimento da comunidade com os cuidados de restrição social. Nesta segunda-feira, o assunto é sobre os perigos das queimadas na área urbana. 

A saúde humana é afetada por diversos elementos tóxicos contidos na fumaça da queimada. O mais perigoso é o material particulado, que é formado por partículas de vários tamanhos. As partículas (finas ou ultrafinas) percorrem todo o sistema respiratório ao serem inaladas, conseguindo transpor a barreira epitelial, ou seja, a pele que reveste os órgãos internos. Com isso, atinge os alvéolos pulmonares durante as trocas gasosas e chega até a corrente sanguínea.Um composto prejudicial a saúde é o monóxido de carbono (CO) que, quando inalado, atinge o sangue e se liga à hemoglobina, impedindo o transporte de oxigênio para células e tecidos do corpo.

As crianças e idosos são os que mais sofrem com as queimadas. A inalação da fumaça pode ocasionar dor e ardência na garganta, tosse seca, cansaço, falta de ar, dificuldade para respirar, dor de cabeça, rouquidão, lacrimejamento e vermelhidão nos olhos. 

Os sintomas, contudo, variam de cidadão para cidadão, dependendo do tempo de contato com a fumaça. É preciso atenção, assim, visto que atinge as vias respiratórias, agravando os quadros de doenças prévias, tais como rinite, asma, bronquite; e a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC).

A prática da queimada – gerando poluição que cause danos à saúde – é crime previsto no artigo 54 da Lei Federal nº 9.605/1998, conhecida como Lei do Meio Ambiente.  A pena varia de seis meses a quatro anos de reclusão, além de multa.

É importante que o munícipe tome medidas preventivas para evitá-las tais como:

·  não queimar lixo doméstico, ainda que sejam folhas secas e papéis no quintal de casa;

·  não jogar lixo em terrenos baldios, áreas verdes ou matas ciliares, para evitar a possibilidade de queimadas espontâneas;

·  não jogar bitucas acesas de cigarro em locais nos quais há lixo, folhas secas ou mato, principalmente da janela do carro em movimento e em estradas (deste ato negligente e descuidado pode resultar um incêndio de dimensões incalculáveis);

·  não jogar latas de metal e garrafas de vidro em qualquer local, pois esquentam com muita facilidade e podem ajudar a criar focos de incêndio;

·  em caso de acampamentos, a fogueira precisa ser feita em locais nos quais não haja vegetação ou deve ser feita, preferencialmente, perto do rio.

A população ijuiense tem que ter ciência que nem no quintal deve-se fazer queimadas, ainda que de galhos secos e folhas. Apesar de ser propriedade particular, a prática prejudica a atmosfera e causa transtornos  à vizinhança.

Veja nossos canais de contato

Fale com a prefeitura


  • Rua Benjamin Constant, 429 - Centro
  • Contato (55) 3331-8200
  • Horário de atendimento: De segunda à sexta das 8h30 às 11h30 e 13h30 às 17h.